Crítica: Divertido e empolgante, Esquadrão Suicida chega como um dos melhores filmes da DC

Esquadrão Suicida
Esquadrão Suicida (Foto/Reprodução: Warner Bros)

Lá em 2016, cinco anos atrás quando saí do cinema, da sessão de Esquadrão Suicida do David Ayer pensei logo que jamais ganharia sequência. O filme foi uma das maiores decepções do ano de 2016 pra mim, e pensei que a franquia não tinha salvação – salve a Arlequina da Margot Robbie e outras coisas. Me surpreendi demais quando, em 2018, foi anunciado que James Gunn seria o diretor e roteirista de um novo filme do grupo de vilões. Desde a época criei o hype, pois o diretor era responsável por Guardiões da Galáxia, que é um dos meus filmes favoritos da Marvel.

Com a saída das primeiras imagens e o primeiro trailer o meu hype subiu muito, porém fiquei receoso, visto que em trailer a DC já nos enganou perfeitamente. Porém, não podia estar mais redondamente enganado. E a crítica estava certa. O Esquadrão Suicida de James Gunn é um filmaço, e merece todos os elogios possíveis. Vamos para a crítica.

O filme, apesar de ser uma espécie de reboot/sequência, aproveita algumas coisas de seus “antecessores”, Esquadrão Suicida (2016), e Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa (2019). Há citações e referências, porém nada forçado e nem muito menos que precise ter visto os dois filmes para entender tudo. A história não é prejudicada caso você não queira assistir os outros filmes.

Qualidade técnica

Começo elogiando a qualidade técnica do filme, James Gunn é um dos melhores diretores da atualidade, as cenas que ele faz e o jogo de câmeras é simplesmente fantástico, há momentos que você imerge na narrativa completamente. Caso o filme fosse em 3D, seria uma experiência fantástica. Por conta da pandemia (creio eu), o filme foi exibido em 2D nas salas de cinema mesmo. O diretor também escolheu a separação do filme por capítulos, mas diferente do que Zack Snyder fez em sua Liga da Justiça, os títulos dos capítulos se assemelham mais à quadrinhos mesmo, usando elementos da paisagem para dar nome às fases do filme. O Salvamento de Arlequina, por exemplo, que usa efeitos de fogo que estavam no local.

E as cenas de violência estavam totalmente explícitas. Não leve crianças e pessoas sensíveis, porque o filme não é para esse público. Me impressionou o filme no Brasil não ser classificado como proibido para maiores de idade, como foi nos Estados Unidos. Eles não economizam em cenas brutais e sangrentas, inclusive a primeira sequência do filme é totalmente isso. Para finalizar essa parte, cabe um elogio à trilha sonora. Perfeita em todos os momentos – e, com nomes brasileiros. Em um momento, toca uma música de Karol Conká e Glória Groove.

Roteiro e elenco

Esquadrão Suicida é EXTREMAMENTE divertido. É um filme que você não vê as 2h passarem direito. Não tem barriga em quase nenhum momento, e cada ato tem momentos memoráveis. Não vou falar mais nada sobre, pra não dar spoiler. Mas uma dica, não se apeguem a nenhum personagem. No elenco, todos estão incríveis. Margot Robbie novamente rouba a cena como a nossa queridíssima Arlequina.

Outros destaques são ao John Cena, perfeito como Pacificador, me deixou muito hypado para a série dele, que chega em janeiro ao HBO Max. Idris Elba e Daniela Melchior não deixam nada a dever também. No geral, todo elenco é super carismático. Foi muito bom ver o Joel Kinnaman e a Viola Davis de volta como Rick Flag e Amanda Waller. Mesmo que o primeiro filme seja ruim, tem coisas muito boas para se aproveitar.

Viola Davis como Amanda Waller (Foto/Reprodução: Warner Bros)

Considerações finais

Se você tinha medo de ver O Esquadrão Suicida por causa do filme fracassado de 2016, só digo uma coisa: vá sem medo. O filme é mil vezes melhor que aquele filme de 2016, infelizmente picotado pela Warner. O filme possui 2h12min de duração, porém vale a pena cada minuto assistido. Minha nota para o filme é de 9,5/10. Irei ver novamente muito em breve.

O Esquadrão Suicida chegou em 05 de agosto de 2021 nos cinemas e no HBO Max, este último, somente nos Estados Unidos.
Total
5
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Previous Post
Sikêra Jr.

Sikêra Jr visita o SBT e deixa jornalismo de cabelo em pé

Next Post
TV Zyn

SBT conta seu momento na dramaturgia em websérie na TV Zyn

Related Posts

This website uses cookies. By continuing to use this site, you accept our use of cookies.  Saiba mais