Antivacina não

Antivacina não! Globo demitirá funcionários que não querem se vacinar

Mesmo com o avanço da vacinação contra a COVID-19 no Brasil, onde quase 90% da população acima dos 18 anos já foi vacinada, ainda existem pessoas irresponsáveis que não querem tomar a vacina, os ‘antivacina’. E isso não somente por aqui, em diversos países, e esses países seguem tomando medidas drásticas, como exigência de cartão de vacina para entrar em locais, ou trabalhar em empresas. E isso começa a se estender para as emissoras de TV, como a CNN Americana já havia feito, e agora aqui no Brasil, a Globo será pioneira nisso.

Segundo informa o site UOL, a Globo já se prepara para demitir os antivacina de seu grupo de contratados. Em uma mensagem compartilhada com os funcionários, a TV Globo destaca que a ação está “alinhada com o que é praticado em diversas empresas”. “Podemos dizer que a aplicação das vacinas é uma estratégia eficaz contra a disseminação do vírus e uma forte aliada para proteção de todos”, diz a emissora.

A emissora também informou que os funcionários que não podem ser vacinados por motivos médicos não correm risco de desligamento. A regra também se estende aos estagiários e jovens aprendizes, visto que em diversas cidades, a vacinação de pessoas de 12 a 17 anos já começou. A empresa argumentou que a vacina é fundamental para que a saúde de colaboradores não seja colocada em risco e reforçou que os funcionários devem enviar os comprovantes de vacinação.

Comunicado na íntegra da TV Globo sobre os antivacina

Em mais de um ano de pandemia, temos aprendido a cada dia sobre formas de prevenção e combate à Covid-19. E este é um aprendizado contínuo. A partir dele, podemos dizer que a aplicação das vacinas é uma estratégia eficaz contra a disseminação do vírus e uma forte aliada para proteção de todos.

Seguindo o compromisso de contribuir para um ambiente seguro para nossas pessoas, informamos que a vacinação contra a covid-19 passa a ser uma condição obrigatória para todos os colaboradores trabalharem na Globo, incluindo estagiários e jovens aprendizes. Com exceção daqueles que não podem ser vacinados por motivos médicos, a não vacinação poderá resultar no desligamento.

A obrigatoriedade da vacina está em linha com a prática de diversas empresas no mercado atualmente, uma vez que a decisão por não se vacinar impacta o coletivo e coloca em risco a saúde dos outros colaboradores.